(11) 4122-6700 | (11) 4123-5677 | (11) 94886-0221

atendimento@fluxo.com
Tempo de leitura: 5 minutos

O inchaço nas pernas.

O inchaço nas pernas é uma das queixas mais frequentes no consultório vascular. No entanto, vários são os motivos que levam ao inchaço (ou edema) dos membros inferiores.

Por outro lado, nem todas as causas têm como origem um problema vascular e podem ser de difícil diagnóstico.

Como se forma o inchaço nas pernas?

Apesar de extremamente complexo, os mecanismos que levam à formação do edema dos membros inferiores podem estar relacionados basicamente a duas condições:

  • dificuldade de drenagem dos líquidos das pernas ou,
  • aumento do fluxo de sangue para os membros inferiores.

Veja as principais causas de inchaço nas pernas:

1. INFECÇÃO DE PELE (como erisipela e celulite):

O processo inflamatório local leva ao inchaço. Geralmente está associado à vermelhidão e calor local. Pode apresentar febre e íngua na região da virilha. O tratamento é com antibiótico e o inchaço tende a regredir com o cessar da infecção. É necessário descobrir e tratar a causa da infecção (por exemplo micose entre os dedos ou pequenas feridas que são portas de entrada para as bactérias). Atenção para casos de Infecção recorrente, pois podem lesar os vasos linfáticos e desenvolver um quadro crônico de linfedema.

2. LINFEDEMA:

É consequência do déficit na drenagem linfática – seja por lesão ou retirada acidental deles. Pode ser de origem congênita (malformação) quanto adquirida (após alguma cirurgia que ocasione lesão deles ou que tenha por objetivo retirá-los em casos de câncer, por exemplo.

Linfedema de membros inferiores - Fluxo Clínica de Cirurgia Vascular

Linfedema do membro inferior esquerdo

Também temos os casos de erisipelas de repetição e filariose. O paciente apresenta a perna inchada constantemente o que leva a alterações da pele. Infelizmente não tem cura e trata-se de uma doença progressiva. O tratamento é através de diversas abordagens, mas consiste principalmente na drenagem manual e alguns medicamentos que estimulam o fluxo linfático.

 

3. TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP):

Edema de uma perna só e dor importante constante são fatores de alerta. A obstrução do retorno venoso pelo coágulo leva ao inchaço do membro. Atenção para nosso cenário pandêmico – há grande associação entre COVID e TVP. Por isso, atenção para aqueles que foram infectados e apresentem dor na perna. O tratamento da trombose venosa, na grande maioria dos casos, é com medicamento anticoagulante e quanto mais precoce maiores as chances de recuperação das veias.

4. INSUFICIÊNCIA VENOSA CRÔNICA:

Insuficiência venosa crônica - Fluxo Clínica de Cirurgia Vascular

Insuficiência venosa crônica

É causado por inchaço geralmente no final do dia associado a presença de varizes nas pernas. A disfunção das válvulas venosas faz com que o sangue não seja efetivamente drenado em direção ao coração, acumulando nas pernas. São várias as opções de tratamento tanto clínico quanto cirúrgico.

5. INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA:

Pacientes com déficit na contração do coração por:

  • hipertensão arterial crônica de longa data;
  • infarto do miocárdio prévio;
  • miocardites

Essas doenças cardíacas podem levar ao inchaço nas pernas.

Esse inchaço se apresenta nos dois membros inferiores, geralmente associado a algum quadro de dispneia (falta de ar) aos esforços. É comum acometer o dorso dos pés também. O paciente já acorda inchado e vai piorando ao longo do dia. O tratamento depende de otimização medicamentosa e pode envolver procedimentos mais invasivos. O cardiologista é quem deve conduzir esses casos.

6. INSUFICIÊNCIA RENAL:

Quando os rins não estão trabalhando de forma eficaz não existe a filtragem de líquidos e de substâncias tóxicas do sangue. O que resulta em uma retenção de líquido, que deveria ter sido eliminado na urina.

O paciente geralmente apresenta inchaço não só das pernas, mas de todo o corpo. O nefrologista é o médico que deve conduzir esses casos, que podem envolver até a necessidade de hemodiálise.

7. INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA:

A disfunção crônica do fígado pode levar ao inchaço dos membros inferiores em decorrência de vários motivos, mas principalmente pela diminuição da produção de proteínas (notadamente a albumina) pelo órgão.

As proteínas no sangue têm a capacidade de manter o líquido no interior dos vasos sanguíneos. Quando há menos proteínas no sangue, a água é transportada para os tecidos, ali se acumulando e causando o edema. Geralmente o inchaço começa pelas pernas, no entanto, à medida que a doença progride, o inchaço pode se tornar generalizado. Diversas doenças podem levar a insuficiência hepática, sendo mais comum ocorrer no estágio de cirrose hepática.

8. COMPRESSÃO EXTRÍNSECA:

Caso exista alguma massa ou tumor no abdome ou pelve que obstrua a passagem de sangue em direção ao coração teremos consequentemente o inchaço nas pernas. Dependendo da localização dessa compressão o inchaço pode ser uni ou bilateral (em uma ou nas duas pernas).

Podemos exemplificar o caso da gestação. Mas, também há os casos patológicos como as neoplasias (massas tumorais) que podem comprimir os vasos sanguíneos e linfáticos comprometendo o retorno venoso e linfático, levando ao inchaço das pernas

9. ARTRITE:

inchaço nas pernas,inchaço nas pernas na gravidez,inchaço nas pernas e mãos,inchaço nas pernas covid,inchaço nas pernas pós parto,inchaço nas pernas com manchas vermelhas,inchaço nas pernas e formigamento,inchaço nas pernas após cirurgia

Atrite e artrose

Quando o inchaço é restrito às articulações como joelhos e tornozelos e vem acompanhado de sinais inflamatórios (vermelhidão, calor e dor). Pode ser de causa ortopédica ou reumatológica.

10. TRAUMATISMOS:

Nos casos de contusão de partes moles com hematomas e/ou fraturas e até mesmo em queimaduras é esperado o inchaço do membro devido o processo inflamatório local.

11. ALTAS TEMPERATURAS:

É comum que no calor aconteça uma dilatação vascular periférica com o objetivo de resfriarmos nosso corpo pela dissipação do calor pelo sangue. Desta forma, o inchaço não é sempre sinônimo de doença! É natural incharmos um pouco mais no verão. Ingestão de água e manter os membros elevados pode ajudar.

12. POSICIONAL:

Para que aconteça a drenagem venosa do sangue é necessário que aconteça a contração muscular da panturrilha de forma efetiva. Em outras palavras, é necessário andar!

Por isso, em viagens longas em que ficamos na mesma posição, ou em Home-Office, onde permanecemos muito tempo sentados, acabamos não nos policiando permanecendo horas sem andar e é esperado termos inchaço nas pernas ao final do período.

O mesmo raciocínio é aplicado para aqueles doentes acamados onde a musculatura da panturrilha tem atividade zero ou aqueles pacientes que apresentem alguma deficiência motora no membro inferior – seja por sequela de Acidente Vascular Cerebral (AVC), doença neurológica ou até doença articular.

Concluindo, são diversas as causas de inchaço nas pernas. Muitas dessas causas têm origem vascular como as varizes, o linfedema e a trombose. No entanto, existem outras situações comuns do dia a dia das pessoas (ou associadas a algumas condições clínicas específicas) que podem cursar com inchaço nas pernas.

O mais importante é que procure seu médico. A partir de uma avaliação inicial, o profissional pode encaminhar para acompanhamento com uma especialidade específica.

Bases científicas para esse artigo:

  1. Edema dos membros inferiores (mgfamiliar.net)
  2. Erisipela Bolhosa | MedicinaNET
  3. Efeitos da Drenagem Linfática Manual na Diminuição do Edema de Membros Inferiores em Gestantes | Revista Pleiade (uniamerica.br)
  4. Análise dos pacientes portadores de linfedema em serviço público
  5. Influência do turno laboral na formação de edema dos membros inferiores em indivíduos normais Influência do turno laboral na formação de edema dos membros inferiores em indivíduos normais
  6. Abordagem fisioterapêutica do linfedema bilateral de membros inferiores Abordagem fisioterapêutica do linfedema bilateral de membros inferiores

Autores

,
Share This
Whatsapp