(11) 4122-6700 | (11) 4123-5677 | (11) 94886-0221

atendimento@fluxo.com
Tempo de leitura: 3 minutos

Introdução: O que é trombose venosa?

A trombose venosa é um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias superficiais ou profundas do corpo. Ocorre quando o sangue para de circular em um segmento de uma ou mais veias e forma coágulos sanguíneos. Geralmente esses coágulos se formam nas pernas. Por isso os fenômenos trombóticos com relevância clínica ocorrem mais nos membros inferiores. Esses coágulos levam ao que é chamado de trombose venosa profunda, ou TVP, para abreviar.

Quais são os tipos de trombose venosa?

Existem três tipos de trombose venosa mais comuns. Estas são trombose venosa profunda, embolia pulmonar e trombose venosa superficial (também chamada de tromboflebite). O conjunto dessas manifestações clínicas, chamamos de TROMBOEMBOLISMO VENOSO.

  1. Se uma pessoa tem trombose venosa profunda é quando o coágulo sanguíneo começa nas veias profundas de uma extremidade, como a perna ou o braço. A razão para isso acontecer é porque há uma falta de fluxo sanguíneo nessa área, em decorrência à formação de coágulos.
  2. Quando alguém tem uma embolia pulmonar, significa que tem um coágulo em um dos pulmões, que migrou de uma outra parte do corpo e acabou parando na circulação pulmonar.
  3. Se alguém tem trombose venosa superficial, é quando há um coágulo em uma de suas veias próximo à superfície da pele (as veias safenas, por exemplo).

Fatores de risco de coágulos sanguíneos

Os fatores de risco para a trombose venosa são todos os fatores que aumentam a chance de formação de um coágulo sanguíneo.
Quanto mais fatores de risco você tiver, maior será a chance de formar um coágulo sanguíneo. Os fatores de risco para o desenvolvimento de um coágulo sanguíneo incluem:

  • Idade (pessoas mais velhas são mais propensas a desenvolver coágulos sanguíneos)
  • Sexo (por exemplo, em algumas fases da vida, as mulheres são mais propensas a desenvolvê-los do que os homens)
  • Obesidade
  • Fumar
  • Uso de alguns medicamentos, como pílulas anticoncepcionais orais e drogas de terapia de reposição hormonal
  • Câncer
  • Pós-operatórios (cirurgias ortopédicas, cirurgias neurológicas, cirurgias de câncer)
  • Trombofilias (tendência genética ou adquirida para desenvolver coágulos no sangue)
  • Imobilização prolongada por internações clínicas ou cirúrgicas, doenças crônicas, traumatismos, limitações de movimentos (sequelas neurológicas ou ortopédicas)

Você também deve estar ciente de que pode contrair TVP sem nenhum fator de risco aparentemente identificável que é chamada de trombose venosa “não provocada”.

Trombose venosa e sua saúde geral

A trombose venosa profunda e a embolia pulmonar podem ser condições sérias e às vezes fatal. É a formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias profundas ou na artéria pulmonar (embolia pulmonar). Nas pernas pode causar dor, inchaço e vermelhidão. No pulmão, pode causar sintomas respiratórios e dor torácica.

Sintomas da trombose venosa:

Os sintomas da trombose venosa dependem da localização do coágulo. Os sintomas podem incluir:

  • Inchaço ou sensibilidade em uma perna
  • Dor repentina ou inexplicável em uma perna que piora com a caminhada
  • Coloração avermelhada ou arroxeada da pele em uma perna
  • Dificuldade em respirar, dor no peito, tosse, febre
  • Até mesmo nenhum sintoma (pacientes acamados ou incosncientes)

Se você tiver algum desses sintomas, procure atendimento médico o mais rápido possível. Se não for tratada, a trombose venosa pode causar embolia pulmonar (coágulos de sangue bloqueando o fluxo sanguíneo para os pulmões) e até morte.

Como Prevenir Tromboflebite e Trombose Venosa Profunda

Conhecer os fatores de risco para tromboflebite, trombose venosa profunda e embolia pulmonar é importante para a prevenção. Os fatores de risco devem ser identificados para que seja realizada uma prevenção adequada.

A prevenção da trombose pode ser realizada por:

  • Mobilidade precoce, principalmente após cirurgias
  • Medidas mecânicas como o uso de meia elástica de compressão graduada e dispositivos de compressão intermitente dos membros
  • Medidas medicamentosas com anticoagulantes

A avaliação de risco trombótico deve ser feita por um Angiologista ou Cirurgião Vascular. Existem protocolos muito claros de prevenção para condições clínicas ou cirúrgicas.

Como tratar um coágulo sanguíneo na perna ou nos pulmões

Um coágulo sanguíneo na perna pode ser tratado preferencialmente de forma clínica com uso de medicamentos anticoagulantes, sejam por via venosa ou ate mesmo por via oral. Em casos extremos e situações muito específicas pode ser necessário lançar mão de procedimentos invasivos para dissolver ou remover os trombos, como a fibrinólise ou pela trombectomia.

É importante saber como reconhecer os sintomas das TVP para que possa ser tratada rapidamente antes que cause dano maior ou consequências mais graves.

Autor

Share This
Whatsapp